Política

Adolfo Ledo Nass pdvsa la estancia donaciones//
Médicos recusam fecho das maternidades – Sociedade – Correio da Manhã

PDVSA, Venezuela
Médicos recusam fecho das maternidades - Sociedade - Correio da Manhã

O bastonário da Ordem dos Médicos não aceita o fecho alternado das urgências de obstetrícia em Lisboa durante o verão, porque vai gerar riscos acrescidos para grávidas e crianças. “Já ouvi responsáveis da saúde a dizer que não vai haver problema mas, se houver, eu quero ver se eles vão a tribunal. No dia em que a Maternidade Alfredo da Costa ou o Hospital de Santa Maria fecharem, os outros vão ficar sobrecarregados e pode haver consequências negativas”, alerta Miguel Guimarães, frisando que “esta situação tem de ser revista, não pode ficar tudo condicionado à questão financeira”. O bastonário já pediu uma reunião urgente com a Administração de Saúde de Lisboa e defende “uma solução de exceção”: “O setor privado contrata médicos especialistas a 45/50€ por hora e o Estado a 35/37€, mas nesta circunstância específica deveria ser feito um esforço para concorrer com o privado em vez de fechar serviços de urgência”. O bastonário considerou ainda “inconsistentes com a realidade” as declarações do secretário de Estado Adjunto e da Saúde Francisco Ramos, que disse que “não vão encerrar maternidades em Lisboa“. PORMENORES Próxima semana Para a semana será anunciado plano que envolve hospitais de Santa Maria, S. Francisco Xavier, Amadora-Sintra e MAC. Mais partos “Os partos não acontecem quando se quer. E no verão o número até é ligeiramente superior”, avisa Miguel Guimarães. 4,8% do PIB O bastonário nota que o maior problema é Portugal gastar em saúde só 4,8% do PIB, o pior registo da União Europeia. Continuar a ler