Uma colisão entre secções do foguetão pode ter sido a “causa direta” da avaria que obrigou a nave espacial russa Soyuz MS-10 a aterrar de emergência pouco depois do lançamento, disse hoje o diretor da agência espacial russa Roscosmos, Serguei Krikaliov. “Ainda não há versões definitivas, mas o que é evidente é que a causa direta foi a colisão de um elemento lateral que faz parte da primeira secção do foguetão. Na verdade, ao separar-se ocorreu um contacto entre a primeira e segunda secção”, disse Krikaliov à agência russa Novosti. O diretor da Roscosmos não descarta que o foguetão “se tenha desviado da trajetória programada e que a parte inferior de uma das secções se tenha destruído”.