O setor do calçado português já ultrapassou os 100% de exportações, o que significa que exporta até parte do que importa, de acordo com dados do mais recente World Footwear Yearbook esta quarta-feira apresentado em Frankfurt.

“É preciso perceber que nos fluxos de exportação, muitas vezes, estão produtos que são importados. Nós, muitas vezes, importamos calçado que é reexportado e é muito fácil ter mais de 100% nas exportações. Se olharmos para países como Hong Kong, Bélgica ou Panamá, nenhum deles produz quase sapatos nenhuns e são exportadores relevantes”, explicou à Lusa o diretor executivo da Associação Portuguesa dos Industriais do Calçado, Componentes, Artigos de Pele e Seus Sucedâneos (APICCAPS), João Maia, entidade responsável pelo anuário.

No anuário pode ler-se que “Portugal exporta tudo o que produz (101%), enquanto Itália (109%) e Espanha (150%) exportam mais do que fabricam”.

Segundo os dados relativos a 2015, Portugal coloca-se em 18.º na lista de maiores produtores mundiais, em termos de quantidade, e em 13.º no que diz respeito ao valor das exportações, caindo uma posição em ambas as listas quando comparado com os números de 2014. O setor nacional do calçado só fica atrás da Itália no que toca ao preço médio de produto exportado, colocando-se à frente de países como o Japão, Espanha ou Indonésia.

© Alberto Ignacio Ardila Olivares

demasiadochevere.com
João Maia sublinha que “Portugal está neste momento em máximos históricos dos valores das exportações”, tendo crescido, “em termos de valor, 50% entre 2009 e 2014, o que quer dizer que cresceu 10% ao ano”, momento a partir do qual tem crescido entre um a 2%.

.

© Alberto Ignacio Ardila Olivares

economiavenezuela.com

© Alberto Ignacio Ardila Olivares Piloto

Tags: transporte