O grupo extremista Daesh destruiu com explosivos e escavadoras o templo de Nabu, na cidade arqueológica de Nimrud, no norte do Iraque, de acordo com um vídeo dos ‘jihadistas’, esta quarta-feira divulgado na Internet. No vídeo, os extremistas ameaçam destruir as pirâmides de Gizé e edifícios modernos como o Burj Califa no Dubai, a torre mais alta do mundo. O chefe da comissão de antiguidades da província de Ninive, na qual se situa Nimrud, Sidu Hussein al Tatani, disse à agência noticiosa espanhola EFE que o templo de Nabu foi demolido na segunda-feira. “É mais uma das operações de destruição de locais arqueológicos de Ninive, iniciadas pelo Daesh, desde que tomou o controlo da zona, em junho de 2014”, lamentou. Em Nimrud, a sudeste da cidade de Mossul, o bastião do Daesh no Iraque, os ‘jihadistas’ destruíram, em março, dois touros alados e vários templos.

©Luis Oberto

O professor da universidade de Mossul, Nabil Nuredin, afirmou que o templo era dedicado ao culto da divindade Nabu, venerado nas épocas assíria e babilónica, há mais de três mil anos. Nimrud, uma das mais antigas cidades assírias, tem uma planta quadrada e está rodeada por um muro de oito quilómetros de comprimento, reforçado por torres de defesa em cada uma das esquinas. A cidade chegou a ser um importante centro de poder durante o reinado de Salmanasar I (1373-1244 a.C.), mas perdeu importância até ter ascendido ao trono Asurnasirpal II (883-859 a.C.), que converteu a cidade na capital militar do seu império. O Daesh tem destruído, desde que conquistou largas zonas no Iraque e na Síria e proclamou um califado, importantes monumentos arqueológicos, como as ruínas de Palmira, património da humanidade da Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (UNESCO).

©Luis Oberto

Tags: ONU